sábado, 18 de dezembro de 2010

AROMA SOLAR

Nosso blog no WordPress, Aroma Solar, uma extensão do Aroma Essencial, com o diferencial em  assuntos ligados à aromaterapia. Acesse:
http://aromasolar.wordpress.com/

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

PROVENCE......
















É um tour para lavar literalmente a alma e sentir-se pleno com a natureza. Boa gastronomia, lugares encantadores e inúmeros vilarejos rurais.


PROVENCE......


















A lavanda é nativa do mediterrâneo e neste tour você pode conhecer a Abadia de Senanque, dos Monges beneditinos, que têm na lavanda um dos principais fontes de cultivo além do jardim de ervas aromáticas. Você pode visitar o Museu da Lavanda , um lugar mágico onde você conhecerá toda a história, tradição e cultura da Lavanda. Fica no fica no vilarejo de Coustellet [mais especificamente, na fazenda Château du Bois], abre todos os dias e tem guia de áudio gratuito.

TOUR AROMÁTICO – PROVENCE

Mês de férias, festas, tudo de bom! Que tal fazer um tour aromático pelo mundo?Lugares paradisíacos, que enchem nossos olhos, nossa alma e nosso olfato de sensações, nos renovando para um novo ano. O planeta está cheio de lugares que buscam está interação maravilhosa entre a natureza, seus benefícios, suas belezas prazeres.

Vamos iniciar nosso tour pelos campos de Lavanda na Provence. Uma benção da natureza, a Lavanda é um coringa dos óleos essenciais, de amplo espectro e atuação sobre o sistema nervoso, além de anti-séptico, analgésico e aumenta nossa auto-estima. Abre o nosso coração para amar, com ela respiramos fundo abrindo nossa alma e percepção interna ampliando nossa capacidade de interagir conosco e com o outro. Seu aroma é especial e inesquecível. Olhando para os campos, para onde a vista alcança vemos um mar de cor lilás.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Perfume sob medida

Quem nunca sonhou em experimentar uma fragrância exclusiva? E que corresponda perfeitamente, adaptando-se à sua pele? Um que nunca se sentirá em outra pessoa? Hoje isso é possível graças a certos artesãos que são especializados na criação de perfumes personalizados.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Revolução dos Sentidos

Vivemos uma revolução tecnológica de tirar o fôlego. Acordamos e já não somos detentores do modelo de ultima geração; estamos a um passo da imagem holográfica 3D em tempo real; temos o videogame com leitura de imagem, sem fios e sem botões; computadores compactos do tamanho de uma tomada e muito mais. Mas, o que era ainda uma idéia já é realidade e em pratica – O Perfume Digital.

sábado, 4 de dezembro de 2010


" O olfato é um sentido que assimila o silêncio. Ele capta a situação e a incorpora sem palavras, parecendo intuição. Por isso, o Natal se configurou de modo especial para mim. O cheiro característico da época

toma os meus pulmões e me direciona imediatamente a um espaço sagrado, um refúgio que proporciona a renovação de minhas esperanças. Sou fortalecido pelo cheiro que transforma em oração. Sou envolvido
por nuvens voláteis que confirmam a minha passagem pela vida"

(por Pedro Paulo Monteiro em O Cheiro de Natal no livro A Mente e o Significado da Vida.)

terça-feira, 23 de novembro de 2010

sábado, 20 de novembro de 2010

Consultórios aromatizados

Aromatização em consultórios atua positivamente na percepção dos pacientes.

O marketing olfativo é cada vez mais usado em países do mercado Europeu, nos Estados Unidos, Brasil e alguns países asiáticos como o Japão e Coréia.  Além dos estímulos visuais, auditivos, táteis e gustativos - capazes de criar um diferencial emocional – diversas clinicas e consultórios no Brasil estão começando já a trabalhar também a aromatização para influir positivamente na percepção dos pacientes.


Diversos estudos feitos nos Estados Unidos demonstraram que o valoração das pessoas em relação aos serviços profissionais prestados em ambientes aromatizados é mais favorável do que aqueles fornecidos em ambientes sem fragrância. Cientes desta ferramenta, profissionais da área da saúde utilizam a aromatização professional de ambientes para melhorar a “primeira impressão” dos pacientes que ingressam na sala, proporcionar um ambiente acolhedor e agradável durante a permaneça na sala de espera, reduzir a percepção dos tempos de espera e - finalmente - diminuir a ansiedade.


Mas, para escolher e aplicar o aroma adequado que permita atingir estes objetivos vale lembrar quatro aspectos que são críticos :


1 -entender claramente o efeito pretendido na percepção das pessoas(a chamada também “proposição de valor”).
2 -considerar o perfil do “público alvo” (sexo, idade, estrato social).
3 -“casar” a fragrância com a decoração do ambiente (cores, texturas, mobiliário).
4 -contratar um sistema de difusão eficiente.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Aroma Ambiente: a nova arma do Marketing de Experiência

O tempo todo somos bombardeados por anúncios, ações promocionais, tantas informações que chegamos até a ignorá-las. Entretanto, cada vez mais as marcas investem no marketing de experiências, uma tendência que ao invés de ter um apelo massificado, propociona sensações ao consumidor que geram um maior engajamento, já que mexe com questões emocionais do cliente.
Fonte: newronio.espm.br

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Aromas líquidos

O ChefsCouncil da Givaudan reúne alguns dos melhores chefs do mundo capazes de explorar e antecipar novas tendências gastronômicas em termos de aromas e sabores.

terça-feira, 2 de novembro de 2010

A AIROMAS faz com que a coleção primavera-verão da PERNAMBUCANAS também seja percebida no ar

A AIROMAS participou da criação de um “telão sensorial” para o estande da Pernambucanas no “Oscar Fashion Days”, em São José dos Campos.


Consciente da importância do marketing sensorial e do conceito comunicacional “ 5D ” (onde além dos sentidos tradicionais - visão e audição - , também o olfato, o paladar e o tato são coerentemente atingidos e estimulados) a PERNAMBUCANAS procurava apresentar um vídeo com os seus novos desenhos, cativando a atenção dos visitantes em mais de “2 sentidos”.
Contratada a AIROMAS, ela inseriu estrategicamente equipamentos no projeto, que fizeram com que os visitantes do estande - além de serem atraídos por impactantes imagens e sons num telão digital gigantesco – se viram surpreendidos por um agradável cheiro de primavera-verão que invadia o ambiente e que “saía do mesmo televisor”.

Com a participação neste projeto, a AIROMAS demonstrou, mais uma vez, a sua liderança na aplicação profissional de “aromas funcionais” para eventos e ações promocionais.

Fonte: AIROMAS
vendas@airomas.com

sábado, 23 de outubro de 2010

Empresa espanhola lança vestido de noiva aromático

Os chamados tecidos inteligentes misturam moda com nanotecnologia e aromaterapia, e, segundo as criadoras, o resultado são roupas que produzem efeitos de tratamentos relaxantes

Capturando os aromas da natureza.

O suíço Roman Kaiser passou as últimas três décadas viajando aos quatro cantos do planeta à procura de novos aromas.


Movimentação no mundo dos Aromas

Dono da Louis Vuitton compra participação na marca Hermès.

Confundindo o sentido do olfato.


Quando o excesso de aromas interfere na resposta emocional do consumidor, o resultado é o conflito entre a reação de repulsa à marca ou o transtorno que causa ao ambiente com a super exposição. A analise do que esta ação pode causar está muito bem alinhavada nesta matéria.

sábado, 16 de outubro de 2010

Como o perfume influencia o nosso humor e domina nossa memória

Lena Brombacher nos enviou este excelente texto sobre como o perfume influencia nosso humor e domina nossa memória.

How perfume influences our moods and dominates our memory


Every perfume tells a story, reminds us of places where we have been or whisks us off to faraway countries. We remember people wearing a certain perfume, it makes us dream of somebody we would like to be or simply evokes a certain feeling, a state of mind.

Do you remember the scene from the Tom Ford movie “A single man“ where George steps into the office of the university and suddenly smells the secretary’s perfume? From one second to the next he seems to be absent, can't concentrate on what she is saying because he is overwhelmed by a feeling, a memory that hit him – induced by a perfume. He closes his eyes, takes a deep breath and finally says “Arpège“. We will never know what had touched him. There is another scene in the film where he sees a woman with a fox terrier. He puts his nose into the dog's coat and says that these kind of dogs smell like buttered toast. He once had dogs like these and lost them when his partner died in a car accident. This scene is so intense that I was moved to tears. The feeling of absence in this man’s life and the smell that reminded him of his beloved ones.

Our nose is connected directly to the limbic system, the part of our brain where we record our memories. That's why you can influence people with scents. In different stages of our life we might have worn a different perfume and we have met people wearing a certain perfume, it will always remind us of a particular day, a certain vacation, a certain man/woman, wonderful times, sad times – whatever. Every smell is linked to a certain memory or feeling. Sometimes you need a little bit longer to remember, but it will always bring up some emotion. The feelings a perfume evokes can be positive or negative. We can't stand the perfume of a person we don't like. And if we smell it in another context it will always remind us of this person. All these emotions are recorded on our ‘hard disk’.

You can also influence your mood with a scent. I have a huge ‘perfume wardrobe’ and I usually choose the perfume that fits my mood or I use one to change my mood. When I want to be happy I take Oranges and lemons say the bells of St. Clement's by Heeley. According to aromatherapy, orange blossoms have the quality to make you happy, that's what happens when I'm wearing this scent. When I miss the ocean I choose Brezza di Mare by I Profumi di Firenze and when I want to feel really feminine I choose another one – which is my secret. And so on. You can influence your own mood and the people around you. No action without reaction. You can add something to your personality, something that could be a new facet of yourself or you can show something that is not visible. We want to please, seduce, provoke, feel more feminine/masculine or change our identity. We can feel summer in winter and vice versa. Everything is possible.

Have you ever met a beautiful woman wearing a wonderful perfume passing by and you wanted to know which scent she was wearing? It happened to me once and since then I know when you meet someone and you think this person is magic you want to own a part of her/him. You want this perfume that makes her/him so irresistible. Even if the perfume is only one aspect of this magic aura. It is kind of a Jean-Baptiste Grenouille thing, the main protagonist of Patrick Suesskind's novel “The Perfume“. Grenouille is lacking personal body odor and becomes a murderer to create the one and only perfume for himself made out of beautiful girls. He wants to be irresistible, to have a unique smell that makes everybody love him, adore him.

An important factor: Two people would never feel the same sniffing the same perfume – it's highly subjective and visceral, that's why people told me that it is impossible to maintain a blog about perfume. Also, you cannot smell what I am talking about. But everything in life is subjective, let it be art, literature or whatever.

Perfume can be like a piece of art. If it doesn't evoke a feeling and if you don't know anything about the artist or about his intention you will never ‘understand’ the artwork. It will never touch your soul. I try to put scents into words so that the reader gets a feeling for them and background information. You can go to a store and see if you like the fragrance or not. Why was the book “Perfumes: The Guide“ by Luca Turin and his wife Tania Sanchez so successful? Because it is a brilliant reference book for all perfume lovers. It works ‘without smell’. Even the description of a perfume can let your imagination flow. I have recorded scents in my mind. I don't need to have them under my nose. I just feel them. If you say for example “Chanel N°5“ I can immediately memorize this perfume. And I can feel the emotion that comes with it.

I am concentrating on niche perfumery – these perfume makers are real dreamers. Above all, they are living their dream to create really exceptional and sometimes odd perfumes. I don't want to smell like everybody else buying a flanker that you may smell ten times a day on another woman. That's why some people don't even tell you what perfume they are wearing. They want to keep it secret – because they know the perfume has a lasting effect.



Lena Brombacher was raised in a theatrical family. After receiving a Master’s degree in Romance Studies and English, she decided to become a journalist and completed an internship at Spiegel TV. She worked as an editor for lifestyle magazines and television before changing sides to work as a public relations consultant. Until 2009 she worked as a press spokesperson for the international fashion trade show Premium in Berlin and continues her collaboration with them now as a freelance editor in charge of the Mercedes-Benz Fashion Week Berlin Magazine and the Mercedes-Benz Fashion Week Berlin Guide. Since the beginning of 2010, she has been publishing regular perfume reviews on her blog olfactorialist.com in order to share her passion with perfume lovers around the globe. Lena Brombacher lives and works in Berlin.


segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Ambre Narguile

Vale a pena ler a descrição apaixonada do perfume Ambre Narguile, da Hermès Paris, descrita no blog crisgoc.multiply . A importância do sentido olfativo nos remete a epocas remotas, despertando a intuição e a sensibilidade.

domingo, 26 de setembro de 2010

Aromatizadores Pessoais e sua história.

A aromaterapia em seu uso prático é muito antiga,
data de épocas há mais de 5000 anos,
têm-se relatos históricos que egípcios já usavam
as plantas aromáticas em suas medicinas
há milhares de anos, assim como os indianos na
sua excelente medicina ayurvédica,
e os chineses em sua medicina,
bastante respeitada até os dias atuais.
Contudo, as primeiras extrações de óleos essenciais,
como hoje conhecemos, aconteceram entre 980 dC a 1037dC,
com a invenção da destilação pelo conceituado médico Avicena.
Porém estas extrações eram ainda bastante rudimentares,
não alcançando o grau de pureza dos óleos essenciais como
acontece com a destilação moderna, que data de apenas 400 anos.

domingo, 29 de agosto de 2010

Reserva Natural – Elegância aliada às belezas naturais






O setor de moda é um dos mais volumosos em números de empresas no país, e suas ações de caráter sócio ambiental podem gerar uma mudança significativa na preservação do meio ambiente.

sábado, 28 de agosto de 2010

Elegância e Aroma

Aromatizadores
Coleção Moda Verão 2011 Reserva Natural

Quando falamos sobre sustentabilidade, buscamos empresas que focam sua missão em uma consciência socioambiental.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

A busca por uma identidade olfativa ideal.

Tema deste mês para o site Valor Luxury Lab fala sobre aos recursos dentro do marketing olfativo que as empresas estão buscando para potencializar uma marca/produto sem perder a identidade , nem a consciência do seu papel  em relação a sustentabilidade e meio ambente.

sábado, 14 de agosto de 2010

Prédio em NY recebe aroma para despertar otimismo

O aroma como agente sensibilizador? A discussão continua.

.......“A parte de seu cérebro que sente a fragrância pode te fazer sentir realmente mal com o que você vê na sua frente – ou realmente bem – dependendo do que for”, explica Carter. “A questão é: Como evocar-se certos sentimentos sem impor-se às pessoas de alguma forma?”

Perfumes Radicais



Discutimos nas postagens anteriores a possibilidade do uso do aroma como uma ferramenta subliminar e para o qual devemos ter o senso de ética e do limite humano. Esta matéria do excelente site " Moda sem Frescura", traz um experimento do SHOWstudio uma arrojadíssima plataforma de mídia interativa, do fotógrafo inglês Nick Knight -  criar uma fragrância baseada na química da violência e documentar todo esse processo na internet. Vale a pena conferir.

Perfume digital


O desenvolvimento da internet rápida permitiu ao internauta ter acesso a conteúdos de vídeo e áudio de excelente qualidade. A tecnologia touch screen, que permite a navegação por toque na tela, ampliou o uso das mãos na web. Agora, é a vez do olfato – não, você não leu errado: é olfato mesmo.

Quem promete essa proeza é a agência digital colombiana Ariadna. Com sede em Miami e escritórios em vários países da América Latina – entre eles México, Argentina, Colômbia e, há poucos meses, Brasil – a companhia vai lançar em breve um software que permite experimentação de odores.


O sistema funciona da seguinte forma: dentro de um dispositivo, como um pen drive (que deve estar acoplado ao PC ou notebook), são inseridas diferentes fragrâncias. Essas substâncias são acionadas assim que o internauta clica ou passeia sobre uma determinada área de um site.

Segundo a agência, a invenção será útil para ações de comunicação de toda a ordem. Poderia interessar a marcas de perfume que buscam divulgar seus produtos ou empresas de outras áreas que desejam fugir do comum em suas estratégias digitais.

“Esse software levou cerca de um ano para ficar pronto. Ele foi concebido em nosso Centro de Desenvolvimento e Inovação (CDI), na Colômbia, e produzido na China”, afirma o colombiano Juan David Pinzon, sócio-fundador da Ariadna.

Sensações olfativas

Segundo ele, a equipe que desenvolveu o software é multidisciplinar, composta por engenheiros químicos e eletrônicos contratados especificamente com essa finalidade. “Trata-se da primeira vez que, por meio de um computador, será possível experimentar sensações olfativas”, afirma.

O software deve estar disponível no mercado brasileiro entre maio e junho, estima Cristiane Bussab, CEO da agência no Brasil e nos demais mercados da América do Sul. “O produto nem chegou ainda às outras unidades no exterior”, afirma. Não será necessária uma configuração especial do computador para experimentar a novidade.

Para Pinzon, o software do aroma digital exemplifica bem o que a Ariadna busca como agência de marketing digital. Fundada em 1998 em Bogotá, capital colombiana, a empresa tenta aliar tecnologia de ponta a um forte pendor criativo, algo nem sempre fácil de ser alcançado.

O viés tecnológico começa por Pinzon, que é engenheiro eletrônico. O grande respaldo nessa área vem do CDI, cuja operação é independente da agência.

“Optamos por criar um centro de inovação porque seria muito difícil desenvolver inovação tecnológica dentro da agência. No dia-a-dia, é complicado, tudo é para ontem, os projetos têm urgência. Com uma estrutura à parte para a inovação, é possível criar tecnologia, que depois permitirá desenvolver ações inovadoras”, afirma Pinzon. Só para dar outro exemplo, além do software de aroma digital, lá também são desenvolvidos aplicativos e peças publicitárias sustentadas por realidade aumentada.

Chocolate, vinho e café

Na fase de testes do novo produto, foram desenvolvidos softwares nos aromas de chocolate, café e vinho, respectivamente a pedidos de Cristiane, Pinzon e Pedro Vilarrub, CEO da operação mexicana da agência. “Cada um pediu um aroma daquilo de que mais gosta”, brinca Vilarrub.

A Ariadna quer levar o CDI para suas outras operações. Em 2010, está planejada a abertura de centros como esse no México e no Brasil, mais especificamente em São Paulo, que terá um forte viés criativo.

Para dar uma dimensão da importância que a Ariadna confere a esse projeto, o centro de desenvolvimento na Colômbia possui cerca de 100 funcionários, quase o mesmo número de colaboradoras da agência (105) – reunindo todas as operações.

Para Pinzon, o CDI – de onde nasceu o software de aroma digital – demonstra bem o perfil da empresa. “Somos uma agência muito técnica, especialista em tracking, busca, tecnologia, mas sem descuidar da parte criativa. Por isso temos equipes multidisciplinares, composta por criativos, pessoas de mídia e busca, entre outros”, afirma.

Depois de um início de operação silencioso no mercado brasileiro, onde aportou no primeiro semestre de 2009, a Ariadna quer aproveitar o lançamento do software de aroma digital para mostrar que está farejando bons negócios em terras brasileiras. “Agora que estamos com as equipes dos diferentes países integradas e temos trabalhos para apresentar, vamos nos mostrar de um modo mais efetivo no mercado”, diz Cristiane.

Fonte: Nave Digital / Cleyton Melo

Esmaltes perfumados

A Revlon inovou com o lançamento no ano passado da linha "Fruitful Tempatio", esmaltes perfumados com aromas coco, manga,papaia,framboesa, maracujá,mirtilo, morango e cereja. Apos secar a expectativa é que dure 24h. Este ano retoma com aromas de verão e liberam fragrância de chiclete, como uva, tutti-frutti ou laranja.

terça-feira, 27 de julho de 2010

Shoppers Insights

Tracy Pepe, Nose Knows Consulting, nos enviou esta noticia sobre o evento “Shoppers Insights”. Como palestrante trouxe a visão de como o estudo de mercado e do novo perfil do consumidor tem acrescentado nova visão ao comercio mundial, e como o aroma tem se destacado nesta caminhada. Tracy tem sido uma fonte permanente de atualização sobre o mundo dos aromas e sua interação com o mundo dos negócios.


De 11 a 14 de julho, em Chicago, marcas americanas em todo o mundo se uniram para discutir sobre o consumidor. As palestras foram focadas no consumidor global, como a recessão tem causado em todos nós uma mudança no modo de comprar e como compreender este novo comportamento e este novo consumidor.

Lori Aulfinger, diretora da área de estratégia de mercado da P&G norte americana, apresentou o tema sobre a mudança no perfil do comprador: o comprador tem mudado, sabe quem são e se preparar para ele vai ser dispendioso, mas diferente. Jéssica Ellickson, diretora da Global Shopper Marketing,Coca Cola, apresentou o perfil do consumidor na Turquia e como sua empresa está aprendendo com este novo padrão. Todos esses eventos, redes sociais e apresentações foram brilhantes.

Como a pessoa principal em abrir o evento, eu estava ansiosa em discutir como o aroma se une à experiência sensorial do consumidor. Minha apresentação foi diferente e teve como contexto o aroma que criei para o evento - solicitação feita pelo organizador e meu cliente IIR (The Institute for International Research). Meu objetivo era estimular a audiência e te-los experimentando intuições. – cheiros – gostos – sons – toques – e sentimentos da “Shoppers Insights”. Minha avaliação tem sido acima das expectativas e incrivelmente bem-sucedida. Muitas empresas entendem que o aroma é o pano de fundo para a experiência de uma marca e não um cheiro que fará você fazer ou sentir alguma coisa. No entanto, o poder do aroma e o impacto que tem sobre o consumidor foram predominantes durante a feira. .

Shoppers Insights foi bem dirigido, incrivelmente organizado e profissionalmente executado. Em resumo, posso dizer que eu não estou certa do que nossos governantes, políticos ou lideres estão fazendo para melhorar nossa economia, mas o que eu sei é que as marcas e indivíduos que foram no evento estão prontos para arregaçar as mangas, trabalhar e focar para empurrar essa recessão para fora da nossa realidade global econômica. Eu estava ansiosa e o aroma do evento será uma impressão que eu conservarei na memória – ótimas mentes trabalhando juntas!

Customizando Aromas – Você já pensou qual é o aroma de sua marca?

A customização cria uma identidade, um estilo,em função disso o marketing da imagem tornou-se importante no mercado de consumo de massa.O aroma faz parte desse diferencial.Leia a matéria na intergra no site Valor Luxury lab.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Five Senses, Minus One: Living Without Smell

A autora conta sobre a perda traumática de seu "senso de cheiro", começando com o tratamento com um spray nasal do zinco que causou estragos em seu nervo olfativo.

Livros sugeridos para o estudo dos cheiros e olfato.

Esta sugestão foi solicitada em uma lista de discussão do LinkeDIn.Excelente contribuição do grupo.

The Scent of Desire by Rachel Herz
The Emporer of Scent by Chandler Burr
The Perfect Scent by Chandler Burr
What the Nose Knows by Avery Gilbert
Smell: The Secret Seducer by Piet Vroon
The Foul and the Fragrant: Odor and the French Social Imagination by Alain Corbin
Fragrance The Psychology And Biology Of Perfume by Steve Van Toller,
Aroma: The Cultural History of Smell by Constance Classen, David Howes, Anthony Synnott
Aroma Fragrances:
The Secret of Scent by Luca Turin
Perfumes by Luca Turin
Perfume Legends by Michael Edwards
Essential oils: The Illustrated Encyclopaedia of Essential Oils by Julia Lawless
Essence and Alchemy by Mandy Aftel
Perfumery, Practice and Principles by Robert R. Calkin / J. Stephen Jellineck
Perfume & Flavor Materials of Natural Origin by Steffen Arctander
Remembering Smell: A Memoir of Losing — and Discovering — the Primal Sense
by Bonnie Blodgett

Articles are sorted by a variety of topics such as Aroma-chology: Mood and Emotion, Aroma-Chology: Consumer Behavior, Clincial Applications, Pheromones and more : http://www.senseofsmell.org/resources/library.php

Sensory Marketing Research on the Sensuality of Products by Aradhna Krishna - O que é marketing sensorial e por que é interessante e importante? Krishna define como "o marketing que envolve os sentidos dos consumidores e afeta seu comportamento." Deve facilitar a análise do marketing sensorial por profissionais e também pode ser usado para pesquisa ou em sala de aula.

Em português:
Aromaterapia,uma abordagem sistêmica - Samia Maluf
Aromacologia, uma ciência de muitos cheiros - Sonia Corazza
Brasilessência - Renata Aschar
Brandsense - Martin Lindstron
Manual Pratico de Aromaterapia - Hermann N.A.Uldrich
A Arte da Aromaterapia - Robert Tisserand

quarta-feira, 23 de junho de 2010

What is your PR campaign when a consumer "HATES" your scented space?

Ótima pergunta feita por Tracy Pepe em sua página no LinkeDIn. O que você faria para reverter um resultado negativo junto aos clientes que odiaram seu espaço perfumado?

Obsession for Men

Big Cats Obsess Over Calvin Klein's 'Obsession for Men'
A Certain Animal Magnetism Makes the Fragrance a Hit With Zoos
By ELLEN BYRON

terça-feira, 22 de junho de 2010

Pesquisa "Mídias sociais nas empresas"

O relacionamento online com o mercado
A Deloitte apresenta a pesquisa “Mídias sociais nas empresas – O relacionamento online com o mercado”, que contou com a participação de 302 empresas de diversos segmentos e portes econômicos que atuam no Brasil.

Este relatório tem por finalidade oferecer um panorama da utilização das mídias sociais no País, determinar o grau de maturidade das organizações brasileiras em relação ao boom destas ferramentas no mundo e evidenciar como as empresas podem se beneficiar dessa nova relação com seus públicos.

Além disso, a Deloitte disponibiliza as suas ofertas de serviços de consultoria em mídias sociais, por meio de uma apresentação, com os destaques e resultados da pesquisa, nas versões em português e inglês.

Fonte: Blog Corporativo

Scent Branding Sweeps the Fragrance Industry

Empresas estão usando "scenting ambiente" em um esforço para deixar impressões indeléveis com os seus clientes.

Temos discutido sobre a dificuldade em obter mensuração de resultados, ou mesmo pesquisas diretas sobre o avanço no uso do aroma como agente de influencia no comportamento do consumidor. Como vamos ver nesta matéria, assinada por Spencer Morgan, as indústrias do cheiro estão buscando uma forma de atingir os mais diversos públicos sem que isso entre na questão da "invasão sensorial”, se podemos dar esta definição para uma interferência subliminar do olfato.
Abordamos esta questão varias vezes aqui no blog e falamos sobre a ética e a manutenção dos valores quando tratamos de influenciar pessoas. Vale a pena conferir o que grandes empresas do setor têm buscado como referencia. A pergunta continua:"Como evocar certo sentimento sem que isso se torne uma imposição?”
Boa leitura!

segunda-feira, 21 de junho de 2010

ENTREVISTA

Entrevistamos Samia Maluf, psicóloga e aromatóloga, criadora da By Samia® Aromaterapia & Consultoria. Uma conversa franca e aberta sobre Marketing Olfativo, a mais recente ferramenta do marketing para o mercado de marcas e produtos. Samia é uma das pioneiras no mercado e desenvolvimento de aromatização de ambientes e vem implementando o termo Marketing Olfativo, tornando-se exemplo e referência dentro deste nicho de mercado.

Aguardem........

domingo, 20 de junho de 2010

Comunicando através do Olfato

Ouço muito ultimamente a expressão "coletivar" que para mim significa dar vida, reunir, agregar. Vejo isso nas redes sociais,mesmo que ainda embrionárias, uma possibilidade de disseminar conhecimento através de uma mídia rápida e em tempo real.

Dentro deste espírito nasceu o blog Aroma Essencial, um meio de buscar e reunir conhecimento sobre uma nova ferramenta do marketing há algumas décadas na Europa, mas recente no Brasil – Marketing Olfativo e Identidade Olfativa. Não seria possível falar desta nova ferramenta sem mencionar sua fonte, a Aromaterapia, o estudo dos aromas, dos óleos essenciais e sua função no físico, mental e emocional humano. Um assunto fascinante e envolvente que agrega a combinação de aromas que possibilitem uma marca/produto fidelizar clientes através da identificação olfativa, além dos benefícios ao ambiente social e comercial que é um dos focos deste blog.

Ser convidada para estar no site Valor Luxury Lab com este assunto é um desafio e tanto, pois ainda engatinhamos neste nicho de mercado e pouca, mas muito pouca informação está disponível. A abertura para estudos mais aprofundados como mensuração de mercado, uso dos aromas e sua forma benéfica junto ao publico alvo, o valor desta nova ferramenta na área do marketing e nas diversas mídias, aspectos psicológicos e neurológicos entre outros serão abordados. Estaremos convidando profissionais para dar sua opinião, trazer cases, experiências, analise de mercado, novidades e atualização do setor no Brasil e nos demais países. Buscaremos também as novidades e curiosidades do setor.

A coluna será interativa e espero que a participação de todos possa ampliar a discussão, enriquecendo o assunto e mostrando que viver bem, ser um Luxo não é uma sandice de meia dúzia, é estar bem, sentir-se bem, viver bem, e todos merecemos este estado de equilíbrio e harmonia. Só com essa consciência estaremos renascendo para um mundo melhor.

Cybele Fiorotti é publicitária e assessora de imprensa. Consultora na área de comunicação. Atua nos setores: cultura, saúde e terceiro setor. Desenvolveu parcerias e projetos nas áreas da educação e meio ambiente. É voluntária no projeto Comunicadores sem Fronteiras/Aberje, e em outros projetos sociais. Desenvolveu o blog Aroma Essencial, rede sobre Marketing Olfativo e Identidade Olfativa que reune informação e busca ampliar a discussão sobre o tema.

sábado, 12 de junho de 2010

HOMENAGEM AO AMOR

O amor deveria ser sinônimo de ternura, sentimento incondicional,sem cobranças. No entanto, ele caminha por varias vertentes e pode chegar ao egoísmo extremo.Hoje é dia de comemorar o Amor dos enamorados, amantes, amigos, conscientes ou inconscientes do seu poder.

Na Aromaterapia vários são os capítulos dedicados a ele-o Amor.Veja algumas dicas quando altos e baixos tomam conta do nosso emocional.

"Está se sentindo irritada, um pouco fora de foco e hipersensível? Experimente um óleo básico como vetiver, talvez com uma gota adicional de patchuli e laranja. Angélica e junípero dispersam a negatividade. O Olíbano ajuda a deixar o passado para trás, assim como quando se está no início de um novo relacionamento e não se consegue parar de pensar no anterior. Para pensamentos obsessivos ou preocupações excessivas com um novo amor, para as situações nas quais você tem dificuldades de enfocar o resto de sua vida, levante o astral com uma essência básica ou centering, como vertiver, nardo, mirra (fragrância preferida entre as hetairai-cortesã grega), ou sândalo. Se você tem problema para falar de si mesma ou de dizer a seu amante o que você precisa, use camomila ou rosa."
"Os óleos essenciais são como uma ponte entre o mundo dos humanos e o das plantas. Cada vez que você usa uma essência com amor, consciência e apreciação estão fortalecendo a teia que conecta toda a vida da Terra. Quanto mais estima e respeito você tiver por seus óleos, melhor será a mistura, tanto na forma como na função. Experimente e você verá!”


Conhecer seu poder de atração é um dom. Usá-lo de forma inteligente é outro dom precioso. Trabalhamos aqui nossa alquimia interior, nosso poder de sedução tanto para o Amor, como para estabelecermos um espaço. Isso mesmo que você leu. Você já deve ter conhecido alguem cujo perfume deixa marca e lembrança. É a magia maior, aquela que nos conecta com a natureza, com a mãe terra, que libera nossa intuição e nosso poder de sedução. Seja feliz!Ame-se muito para poder amar de verdade.

Texto: Cybele Fiorotti
Citações do livro: Aromaterapia para o Amor - Tara Fellner

Curiosidade

Os aromas são poderosos,isso é fato.Os biologos Rony Garcia e José Moreira, do Progrma de Conservação dos Jaguares da organização Wildlife Conservation Society's, provaram a tese. Eles usam o perfume Obsession for men, da Calvin Klein, para atrair felinos,neste caso, Jaguares. O WCS procurava maneiras de fazer com que os jaguares se posicionassem de frente para as câmeras e, depois de testarem varias fragrâncias, descobriram que aplicar a substância perto dos equipamentos, sensíveis ao calor e ao movimento, atraía os animais por mais tempo que outros perfumes ou métodos.

Na descrição do produto em sua página on-line está escrito:"É uma combinação atrativa de Botânica, especiarias e madeiras raras que é impossível resistir". A descoberta de que o Obsession for Men age como um imã para os felinos foi resultado de uma experiência do WCS no zoológico do Bronx, em Nova York.

O Jaguar é o maior felino do hemisferio ocidental, podendo atingir até 2,60m e pesar 115 kg.Simbolo da fauna brasileira, era temido pelos Maias.

Fonte: Jornal da Tarde, edição de sabado 12/06/2010- JTRadar.

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Construtoras investem em Marketing olfativo

As construtoras Rossi e Diagonal estão investindo na diferenciação através do olfato. A estratégia de marketing feita em parceria pelas empresas está sendo aplicada em estandes da Rossi no Nordeste. Para o empreendimento Terraços Praças Residenciais, em Fortaleza, o consumidor sentirá o aroma de alecrim, que remete a temperos, cozinha e reuniões em família, assim como o estande do Praças Residenciais.

Já para o edifício comercial Duets Office Towers, a Rossi usa um aroma de madeira, com o objetivo de apresentar um imóvel clássico e requintado, enquanto os empreendimentos à beira-mar têm em seus estandes a essência de baunilha. Além do cheiro, os espaços ainda oferecem som ambiente de acordo com o perfil do público. A Rossi já planeja levar este conceito de estandes para o Rio Grande do Norte.

Fisgado pelo nariz

A fragrância pode ser o fator determinante quando você compra um produto cosmético. Isso acontece porque o olfato tem conexão direta com o processamento de emoções e o armazenamento de memórias, ou seja, uma fragrância pode fazer você torcer o nariz ou trazer-lhe lembranças de ocasiões especiais e sentimentos calorosos. Por isso, a indústria de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos (HPPC) investe no marketing olfativo, aumentando o vínculo entre a marca e o consumidor final

Marketing Olfativo - Alberto Souza

Sabemos que o marketing olfativo pode ser um complemento para campanhas tradicionais de marketing. É possível harmonizar todo o ambiente, desde a ambientação física de uma loja até a fragrância que representa a marca. Com isso, envolver o consumidor no ponto de venda e estimular seus sentidos.

Entretanto, muito ainda deve ser explorado para ampliar o uso desta ferramenta. Abaixo relacionamos algumas perguntas que visam ampliar o conhecimento e o uso do marketing olfativo.

sábado, 5 de junho de 2010

A importância do Marketing Olfativo como estratégia de mercado

O mercado da concorrência, entre outras ações, deve ser encarado dentro de uma visão inteligente, ligada a valores e emoções. Isso leva os profissionais de marketing a buscar por estratégias que diferenciem seus clientes dos demais concorrentes e transforme os produtos ou marcas da empresa em atrativos de fidelização. Uma dessas novas ferramentas do marketing moderno é a Identidade Olfativa para marcas ou produtos. Para se chegar a uma identidade olfativa, é preciso estudar o ambiente a ser explorado, o público-alvo e o objetivo da ação. Este nicho de mercado antes trabalhado no campo prático da experimentação se consolida como um mercado de fato e requer competência e atualização constante na área de aromaterapia.

O consumidor está exigente e conhece seus direitos tanto em relação à qualidade dos produtos oferecidos, quanto ao atendimento dado pela empresa . Não é mais possível empurrar literalmente qualquer coisa para o mercado. O grau de exigência chegou às classes emergentes que hoje consomem mais, e melhor, e já lideram nichos significativos do mercado.

“Ao lidar com outras pessoas, lembre-se de que você não está lidando com criaturas da lógica, mas da emoção, ou seja, com seres que estão enredados em preconceitos e motivados pelo orgulho e pela vaidade”. (Dale Carnegie)

A emoção nos torna sujeitos de ações intempestivas. Leva-nos a resgatar lembranças e nos torna susceptível a influencias externas. Todos estes aspectos têm que ser levados em consideração quando projetamos uma ação que vai influenciar não uma, mas varias pessoas. A arte de usar aromas é tão sensível à especulação quanto qualquer outro meio de influenciar pessoas, e deve englobar valores voltados para o campo da ética e do equilíbrio, pois lidamos com um aspecto sutil do ser humano - a percepção sensorial, neste caso olfativa.

Na aromaterapia, a importância da saúde da mente é a mesma com a qual lidamos com a saúde do corpo. Levar em consideração os vários tipos de emoção e como elas nos afetam, tornam este novo nicho de mercado um maravilhoso campo para não só promover vendas, agregar valor a marcas e produtos, fidelizar clientela, mas, sobretudo criar ambientes harmônicos sob vários aspectos como: sala de reuniões, eventos, locais de grande concentração como teatros, cinemas; amenizar ansiedades em ambientes hospitalares e consultórios; ajudar na concentração na hora dos estudos entre diversos outros recursos. Além de toda parte de papelaria,embalagens, criação de logotipos, etc..

Alguns exemplos práticos de empresas que usam deste recurso. O Teatro HSBC, em Curitiba, é aromatizado com fragrância de bambu. Varias chocolaterias, em São Paulo, A importância do Marketing Olfativo como estratégia de mercado.docjá tem os equipamentos aromatizadores de ambientes com uma fragrância de chocolate. A rede de lojas de calçados Via Uno, possui todas as unidades da rede no Brasil e no exterior - Espanha, Holanda e Alemanha - incluindo as franquias, aromatizadas. A espanhola Sara Navarro, lançou de uma linha de sapatos confeccionados em três aromas distintos.

O merchandising é outro meio que usa o recurso nos PDV, dando identidade e personalidade ao local. Em seu artigo "A Excelência: O Ponto-de-Venda", Cabrino diz que:
(...) aromas como o de maçã verde e pepino, são ideais para pontos-de-venda de pequeno porte, uma vez que possuem propriedades capazes de reduzir os níveis de stress e claustrofobia. O cheiro de fumaça de churrasco é indicado para espaços amplos, pois provoca sensação de aconchego, evitando crises de agorafobia (medo de lugares públicos e descobertos). O grau de olfato varia de pessoa a pessoa. As mulheres têm um olfato mais apurado que os homens, principalmente durante a ovulação. Os idosos, com mais de 80 anos, apresentam sensível redução na percepção olfativa, assim como os fumantes e as pessoas que trabalham ao ar livre. (www.portaldomarketing.com.br/Artigos)

Esta nova ferramenta do marketing – Marketing Olfativo - traz o conceito de interatividade – empresa/consumidor; mensuração da resposta, pois é possível mensurar in loco a reação do consumidor, proporcionando uma busca de melhores resultados; comunicação direta e individualizada, pois cada um vai remeter a lembrança do aroma para uma situação ou registrar na memória a informação emocional relativa à marca ou produto, tornando a vontade de retornar uma ação espontânea. Uma ferramenta que já provou ser eficaz e inovadora.

Cybele Fiorotti

BUDDHA BAR III - Golden Lotus

terça-feira, 1 de junho de 2010

Matéria interessante realizada em 2003 sobre "Aromas que vendem "

Cheiro bom

Atuando diretamente sobre as emoções dos clientes, o marketing olfativo evoluiu e se transformou em importante ferramenta para o negócio.



Leia matéria completa aqui.

Aroma Essencial.

Sapatos com aromas

Quando pensávamos ter visto todo o tipo de inovações na concepção de calçado, eis que surge uma linha de sapatos confeccionados em três aromas distintos. Uma inovação introduzida pela estilista Sara Navarro que pertence à terceira geração de uma família de artesãos e industriais do calçado da cidade espanhola de Elda.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Homenagem ao "Dia do Café"

As duas fases dos aromas.

Um exame olfativo completo tem duas fases. A primeira, quando o expresso está a uma temperatura a volta de 80 °C.

Mistura-se o café, para que a capa de creme não impeça a difusão do perfume no ar, e depois chega-se o nariz á chávena com delicadeza, sem a girar.

Faz-se uma intensa inspiração de poucos segundos, e da superfície do café o vapor chega às fossas nasais um conjunto de notas aromáticas, que há que reconhecer uma por uma, como se faz com o vinho. São aromas frescos e ligeiros: flores, hortaliças, frutas, do jasmim á amêndoa.

Junto aos sentidos, entra em jogo a memória: os aromas reconhecem-se por analogia com o que já se viveu e aprendeu anteriormente.

É um exercício agradável e difícil, no qual cada vez se adquire uma nova sensibilidade: os aromas do café são compostos por aproximadamente 700 componentes químicos e as combinações possíveis são infinitas. O que se procura e se satisfaz é sem dúvida uma sensação de finura, de limpeza e equilíbrio entre a variedade dos aromas, e entre estes e a nota torrada correcta, que não extingue nem encobre os aromas.

A segunda fase de aromas chega depois da degustação. Com a boca ligeiramente aberta para expirar o ar, a percepção retro nasal devolve novos aromas, mais intensos e, em conjunto, muito agradáveis: manteiga, pão recém-saído do forno, massa folhada e chocolate. É o que na linguagem de cada dia se denomina “sabor”, o que permanece muito depois de ter bebido um espresso excelente.



(

Essência e Evanescência

Essência e Evanescência
Por Carlos Vogt

Quando, os olhos cerrados, numa noite de outono,
respiro fundo o cheiro ardente dos teus seios cheirosos,
descortino ao longe litorais radiosos
que seduzem o brilho de um sol monótono.

Uma ilha preguiçosa onde a natureza em sono
de estranhas árvores e frutos saborosos
abriga homens fortes, esguios, vigorosos,
e mulheres de olhar sincero, desafiante e franco.

Guiado por teu perfume que ao perseguir alastro,
vejo um porto pleno de ondulações de mastros
ainda exaustos da confrontação marinha,

enquanto o aroma dos verdes tamarineiros,
que no ar circula, invade a vida minha,
mistura-se na alma com a voz dos marinheiros.

Charles Baudelaire (tradução: Carlos Vogt)

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Sobre o povo Ongee.

The Ongee people of the Little Andaman Island in the Bay of Bengal live in a world structured by the sense of smell. Odor is the vital force in their universe and forms the core of their identity. The primary focus of Ongee culture is to maintain a state of olfactory equilibrium within its members and within the cosmos. The Ongees even paint their skin, sealing in their scents in order to maintain energy. (by KJ Baysa, M.D.)

O povo Ongee, natural das Ilhas Andamão,na baía de Bengala vivem em um mundo estruturado pelo sentido do olfato. Odor é a força vital em seu universo e forma o núcleo da sua identidade. O foco principal da cultura Ongee é manter um estado de equilíbrio olfativo entre os seus membros e o cosmos. O foco é manter a energia através da pintura na pele com as sensações aromaticas.

terça-feira, 4 de maio de 2010

Feromônios em frascos.

A palavra feromônio foi cunhada pelos cientistas Peter Karlson e Adolf Butenandt por volta de 1959 a partir do grego antigo féro "transportar" e órmon, particípio presente de órmao "excitar". Portanto, o termo já indica que se tratam de substâncias que provocam excitação ou estímulo.(Wikipedia)

Está circulando pela net, um vídeo sobre um perfume em que a fragrância é obtida a partir de odores vaginais, incrível, não?! O perfume produzido na Alemanha, cujo nome é Vulva, ao contrário do que se está comentando, não deverá ter uma fragrância desagradável.

E como eu sei? Vejam, por exemplo, o almíscar, componente de muitos perfumes, foi originalmente obtido da glândula do ‘testículo’ do cervo-almiscarado, a substância extraída possui forte odor, que in natura, é desagradável, mas que após os processos químicos pelos quais é submetida, resulta no aroma agradável que confere a incontáveis perfumes.

Fonte: Publicado em 03 abril 2010 por Renata Fraia em: http://www.dasmariasblog.pop.com.br/categoria/sex-hacks

Sobre marcas olfativas e a Propriedade Industrial

"Em vários países, como Estados Unidos, Austrália e França, as chamadas marcas olfativas são registráveis
porque suas leis possuem uma definição de marca bastante ampla e flexível, que comporta não só as marcas
tradicionais, que normalmente conhecemos, mas também essas formas não-convencionais."

Leia o texto na integra.
Fonte:Sandra Leis-Advogada e agente de propriedade industrial de Dannemann, Siemsen,Bigler&Jpanema

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Entrevista com Martin Lindstron

Entrevistamos Martin Lindstrom, futurologista de marcas, guru de branding e autor do livro Brandsense - A Marca Multisensorial.

AE - Who is Martin Lindstrom?

Martin Lindstrom-I'm an ordinary consumer, just like everyone else, with a very strong passion - and some may say - very deep insight into the world of branding and advertising due to my high level work with Nestle, Microsoft, the Walt Disney Company, Procter & Gamble, Reebok and Unilever. I'm also a person with an inbuilt curiosity - perhaps reflecting many of my global multi-million dollar research projects exploring consumers and our senses using some of the most sophisticated brain research techniques in the world.
It may sound ironic - but I am just as everyone else affected by brands. It's not like I have a magical bullet which protects me from commercial messages - and even though I might be more critical towards what I'm exposed for I still buy brands, watch commercials and shop like everyone else.

AE - What motivated you to follow this line of research?

Martin Lindstrom - It has been clear for me over the past years that the majority of decisions we make as a consumer takes place in our subconscious mind. Today we estimate that 85% of all the decisions we make every day are made in our subconscious mind - yet the majority - if not all communication appeals to the conscious part of our brain. It simply doesn't make a sense which is the reason why I in 2004 commenced what has turned out to become the largest NeuroMarketing study in the world.A study combining marketing with science in order to shed some light on what really goes on in the consumers mind as we buy brands.

AE - How was the word "Buyology" created?

Martin Lindstrom: It was a 10 months long process - involving my agent, two external agencies, my copywriter team, my publisher, my writer and myself. A lot of titles were developed - at a last count 600 different book titles however none of these seemed to catch. Latterly in the 11th hour my editor came up with the idea inspired from a conversation he'd had at a dinner party pitching the book - everyone was in total agreement about the title and thus the term buyology was born.

AE - Did the research have its focus on five senses or is it more widely?

Martin Lindstrom: One of the key focus areas were to explore the true importance of our senses - as a reflection of this we conducted a major sensory experiment using fMRI in Oxford, England as the first in the world in order to find out the true influence of our senses when buying brands.
Buyology however explores a range of other related topics like the future of the logo (which by the way doesn't seem to promising according to the Buyology study), the true effect of product placement (it doesn't work at all) or sponsorships (forget it), the correlations between brands and religion (there is one), does subliminal advertising exist (the answer is yes) and does it work (you bet yea!) - does NeuroMarketing work (we've proven that it does) and what is the importance of our senses (amazingly powerful). So as you can gather - the sensory part is there but far from the topic of the entire book.

AE - What was discovered in relation to Olfaction?

Martin Lindstrom: That the sense of smell is substantial more powerful in order to build brands than first anticipated. In fact we've learned that the sense of smell activates more regions in the brain than if you use the sense of sight - and we've learned that there is an amazing positive synergy taking place if you expose consumers for both the sense of smell and sight - a synergy so powerful that we're not only talking about 2+2 is 4 but more 2+2 is 10.

AE - Our blog is about Olfactory Marketing and Olfactory Identity. In your opinion, what is the relationship between brand and flavour?

Martin Lindstrom: There are two different dimensions. – one - the straight forward dimension - i.e. using the sense of taste to build a strong brand signature - like Listerine or Colgate. But there's another dimension which is just as important if not more - the imagination of taste - generated by using illustrations, colours and other sensory touch point. We're today close to develop techniques enabling us to show a picture and as a result of that stimulate a perceived taste in our mouth. Or expose a consumer for a sound - and make us get a sense of the taste of it. This is ground-breaking stuff as this may enable us to use one sense to stimulate another and thus create cross over effects which means that we over time in principal can sample food products just using the sense of smell.

AE -Considering the five senses, which one affect more in the final decision of the consumer?

Martin Lindstrom: In BRAND sense I concluded that the most important sense of them all was the sense of smell - followed by the sense of sight - I was wrong. You see the problem with research like that was that we asked consumer questions - and often - as you know - it's almost impossible to express what we smell, tasting or touching. That's the reason why NeuroMarketing made sense - and the results were absolutely mind-blowing. We learned that across all the senses (and product categories) the most important sense is the sense of sound - followed by the sense of smell - then followed by the sense of sight. Considering the fact that 83% of brands today only appeals to the sense of sight - it is clear that there's an enormous opportunity for companies across the world to leverage the senses in a far more systematic way.

AE- You talk about "NeuroMarketing". Can you explain this terminology?

Martin Lindstrom: It is a new term - less than a decade old. It is a marriage between science and marketing - a highly controversial marriage - which on one hand takes decades of insights from the scientific world and combines this with the experiences from the marketing world. As a result we've begun to look into our subconscious mind in ways never done before - among other understanding what the true influence of our senses are when purchasing brands.

AE- In your research, you talk about hidden motives, needs and desires that our conscious mind doesn't understand. How it was detected?

Martin Lindstrom: One of the most disturbing and surprising discoveries in Buyology was a study on health warnings on cigarette packs. I decided to look into these based on the fact that we smoke 13 percent more over the past three years. From a rational point of view it's hard to understand considering the fact that tobacco advertising has been banned for more than a decade, we today know it is unhealthy to smoke and it's almost impossible to smoke indoor. It was on the basis of this I decided to look into the health warnings to understand what affect they have on smokers. What we learned was that health warnings not only have failed to work - they in fact encourage smokers to light up another cigarette. You could say that the health warnings are the tobacco industry's secret killer marketing weapon. This discovery not only indicates that what we think and feel is in sharp contrast - it also indicates that conventional marketing - like quantitative and qualitative research techniques has failed uncovering issues like this simply of that reason that it all takes place in our subconscious mind.

AE- In your opinion, the Olfactory Marketing can be considered a revolution in the market brands or one more fashions?

Martin Lindstrom: I'm not only convinced that olfactory marketing is a breakthrough - and believe that the entire concept of sensory branding - i.e. leveraging several if not all of our senses is a revolution. I'm saying "several" because we've learned from the Buyology project that senses are working much more together than first thought - and thus separating these into the sense of smell - does not make sense

- they have to work together in order to generate a congruent effect.

AE- Could the use of excessive odours make the opposite effect? Do you think it can create barriers or dull the choice?

Martin Lindstrom: Most defiantly - in fact the Buyology project proved this as we established experiments where we exposed consumers for conflicting smells and pictures. I.e. a picture of a Coca-Cola logo combined with the smell of Dove - the results were a dramatic incongruent effect. I.e. 2+2 is 1 - and thus tearing down the entire brand.

AE- How do you see the market of Olfactory Marketing?

Martin Lindstrom: Extremely positive - in particular now when we finally know that it is no longer just a myth that it works - we can now finally prove it from a scientific point of view - all helping to create strong enough evidence helping brands to understand the true power of our senses.


Nós do blog Aroma Essencial agradecemos a forma atenciosa e rápida com que Mr. Martin nos atendeu e concedeu esta entrevista.

Identidade olfativa - tendência mundial

Assim como uma identidade visual inovadora pode servir de diferencial para uma empresa, a identidade olfativa começa a ganhar espaço definitivo no processo de construção de marca. Especialistas em tendências de branding identificaram, no ano passado, que o segmento de identidade olfativa cresceria rapidamente, atingindo todo o mundo, e a previsão se realizou.

O olfato é um dos sentidos que, quando estimulado, resulta numa experiência altamente emocional. Como parte do user experience, ou seja, a forma como o usuário/consumidor vivencia a marca e a relação emocional que se constrói a partir dessas experiências, uma identidade olfativa bem construída pode render relacionamentos duradouros com consumidores, e atrair consumidores em potencial porque, por exemplo, aquela loja de chocolates tem o mesmo cheirinho da cozinha da sua avó…

A criação de identidades olfativas é comum a algum tempo se considerarmos os perfumes criados para marcas famosas como Carolina Herrera, Dolce &Gabanna e Channel (não, essas marcas glamorosas não criam suas próprias fragrâncias… isso fica a cargo de empresas como a Firmenich). A novidade que se espalhou pelo branding mundial é a inclusão de perfumes tão distintos quanto esses de “grife” nos sistemas de air care de diversos tipos de pontos de venda, desde lojas de tênis até de roupa de cama. Que Glade que nada, o diferencial da marca moderna é ter seu próprio cheiro. A interação visual-olfativa nos pontos de venda resulta em uma experiência sinestésica, emocional e marcante para o consumidor.

Essa tendência já é bem notável no Brasil. A difusão de sistemas de air care, tanto em ambientes residenciais quanto comerciais, promoveu uma evolução no mercado de cheiros e hoje já é comum passear em um shopping center e se deliciar com alguns aromas distintos. A loja de tênis Vírus, que revende a marca Converse All Star, criou uma atmosfera tranquila e energizada com um aroma de baunilha e ar-condicionado refrescante, o qual se repete em todas as suas lojas. Esse é apenas uma de uma série de marcas brasileiras que aderiram à identidade olfativa. Para conhecer outros exemplos basta andar por centros comerciais de olhos e narizes bem abertos.

Mas será que, assim como a carga de informação visual é, muitas vezes, demais para nossos olhos absorverem e nossos cérebros processarem, os cheirinhos de muitas marcas não vão dar um nó no nosso nariz?

É esperar para ver, digo, cheirar.

Fonte: http://linhasesuperficies.wordpress.com
Chris Pearson
Março 18, 2008

segunda-feira, 19 de abril de 2010

AS RELAÇÕES EMOCIONAIS COMO ELEMENTO ESTRATÉGICO PARA A CONQUISTA E MANUTENÇÃO DE CLIENTES

O presente artigo estuda as relações intrapessoais, interpessoais e o efeito da conexão emocional entre pessoas que criam produtos ou serviços e pessoas que os consomem. Essa relação decorre da interação humana e da conotação emocional que é transmitida em todos os relacionamentos, indiferentemente nos comerciais. O embasamento teórico das obras consultadas aponta esse foco emocional como condutor de oportunidades, tanto para quem vende como para quem compra. Isso constitui um importante diferencial competitivo das organizações.

Thaís Cordeiro Gomes e Ângela Abi-Sáber

Unindo acadêmico e comercial na área dos aromas

O Scent Marketing Institute irá complementar os recursos acadêmicos da UNLV com sua experiência comercial,  e proporcionar acesso a uma rede global de profissionais de marketing olfativo.
 
 De acordo com Stuart H. Mann, de Dean William F. Harrah's UNLV College of Hotel Administration, "esta é uma grande oportunidade para reduzir o descompasso entre o acadêmico e o mundo comercial."
 
Ótima iniciativa!

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

A comunicação do varejo através da experiência holística:

Estudar como as empresas estão criando estratégias competitivas em um cenário
tão complexo de atuação como o vivido nos dias de hoje é o principal tema abordado no
trabalho. O marketing de experiências tem sido uma dessas ferramentas e, a partir deste,
busca-se encontrar quais formatos de diferenciação estão sendo usados nos segmentos.
Entender o marketing olfativo – vertente estudada – como forma de comunicação com o
consumidor e também um diferencial da marca é o foco principal de estudo.

Priscilla Paoli FLÔR ²
Guilherme Mirage UMEDA ³

Marketing Sensorial

A utilização de cheiros em ambientes de varejo não é algo novo, mas seu estudo e
personalização o são. Algumas lojas trabalham com a comercialização de suas fragrâncias. Aromas esporádicos, antes utilizados nas lojas, deram lugar as fragrâncias feitas especialmente para cada estabelecimento, de acordo com suas características físicas, com o público e especialmente com o objetivo principal da loja: vender. Alguns aromas são utilizados para determinação do comportamento do cliente dentro da loja, outros para criar uma maior identificação com a marca e ainda os que agregam valor e diferencial à loja.  “Imagine a sensação de respirar fundo ao caminhar por um campo florido. Mentalize que está passeando em um pomar ensolarado. Recorde-se das deliciosas fragrâncias. Lembre-se do delicioso perfume de um café recém feito.  Que tal experimentar essa sensação ao entrar em sua loja, empresa ou evento? O marketing olfativo já vem sendo utilizado em países do mercado europeu, nos EUA e em alguns países asiáticos como o Japão e Coréia. Estas regiões foram precursoras de estudos e pesquisas com fragrâncias e registraram resultados surpreendentes, o que incentivou a sua utilização como recurso de atração e fidelização de público”.

Uma fragrância chama positivamente a atenção, causa uma boa impressão ao local, reforça os atributos de um produto ou marca, dá uma assinatura olfativa a um empreendimento, a uma etiqueta ou a uma marca, cria uma atmosfera olfativa em conjunto com as cores, sons, texturas, etc.  A fragrância sendo bem escolhida e trabalhada de forma específica pode transformar a experiência de compra em um momento inesquecível, porque:  O olfato aparece como sendo o sentido mais fortemente manipulável, os odores se fixam no cérebro humano de forma extremamente duradoura. Eles são armazenados no nível do sistema límbico, sob a forma de emoções ligadas ao contexto no qual marcaram o sujeito. Se sentir novamente estes odores, a pessoa revive aquilo que vivenciou anteriormente. (Duchos apud Schmidt (2000:42), em recente pesquisa sobre marketing olfativo).

Além de proporcionar uma lembrança imediata do momento vivido, uma boa composição olfativa é capaz de atrair a atenção do cliente, podendo aumentar o tráfego no estabelecimento, a velocidade de visitação, o tempo de permanência dentro da loja, despertar a fome e até a libido. Com a comunicação olfativa é possível devolver ao consumidor cheiros que ele deixou se sentir seja por causa da poluição ambiental ou da adoção de embalagens a vácuo.
(Eduardo Caritá. http://empresas.globo.com/Empresasenegocios).

Diferentemente do que supõe a maioria, a aplicação das novas tecnologias olfativas não se restringe à indústria alimentícia ou cosmética. As montadoras de automóveis há tempos encomendam “cheiros de carro novo” que atendam às expectativas de seus consumidores. “Na Europa, o que agrada é basicamente a mistura de couro e tinta. Já no Brasil é a combinação de vinil, plástico e borracha. Cada vez mais a indústria, o varejo e os prestadores de serviço estão buscando um aroma próprio para fixar a imagem”. (fonte: Kátia Simões, http://empresas.globo.com/Empresasenegocios).

O marketing olfativo difere de outros que também utilizam os sentidos por suas características únicas e peculiares. Uma de suas grandes importâncias e contribuições seja a permanência de seu impacto no consumidor (uma pessoa pode vivenciar até 10.000 cheiros diferentes e lembrar-se da maioria deles) e a mudança no comportamento que poderá causar determinado pelo cheiro (alguns aromas têm um efeito tranqüilizador e também agitador). E essas características olfativas proporcionam um domínio de ações dos consumidores, podendo influenciar em sua permanência na loja, sua percepção da loja e o impacto em suas lembranças, tornando-a positiva na maioria das vezes.

A propaganda já descobriu o marketing olfativo há algum tempo. No Natal de 2001, a Bauducco espalhou o aroma de panetone em 32 salas de cinema de São Paulo, enquanto imagens do produto eram exibidas no telão, antes de o filme começar. Nos supermercados, a preocupação inicial era diminuir o incômodo cheiro de peixe. Depois, passaram a colocar aromas, como os de cravo e baunilha, que deixassem o cliente com fome durante as compras.
(MAÍRATERMERO,http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EDG62085-6014,00.html)

Nada é mais eficiente para engatilhar uma emoção que o olfato. É só ter contato com um odor que lembre alguma coisa boa, que não tem erro: a emoção volta, causando felicidade. Segundo pesquisas recentes, esse poder dos odores pode ser usado para deixar os consumidores mais vorazes, e os comerciantes mais ricos. O psicólogo Eric Spangenberg e sua equipe, da Universidade de Washington, fizeram um estudo sobre isso numa loja de roupas. Eles impregnaram o ar de lá com um cheiro “feminino”, de baunilha, e a venda de saias, blusinhas e vestido dobrou. Depois fizeram a mesma coisa usando um odor “macho”, amadeirado. E o que duplicou foi a venda de roupas masculinas. Em outra experiência da Universidade de Nova Jersey, espalharam um cheiro cítrico “prazeroso”, segundo os pesquisadores, num shopping canadense. E foram conversar com as pessoas enquanto elas faziam suas compras. Então dividiram os entrevistados em dois grupos: o dos “contemplativos”, que só vão ao shopping para comprar algo que já tinham planejado, e os “impulsivos”. Neste ultimo grupo, o odor não surtiu efeito. Mas no dos contemplativos foi bem diferente: eles gastaram 14% a mais em comparação com os que não tinham sido expostos ao perfume. E a coisa vai mais longe. Um estudo da Universidade de Zurique, na Suíça, mostrou que as pessoas tendem a confiar cegamente nas outras quando inalam um hormônio chamado ocitocina (liberado durante o orgasmo).
 
Fonte: Revista Super Interessante - artigo Poção da Gastança, edição 238, pag. 41. Abril 2007